(67) 3201-8475 / 99887-4684|aaaaaltfinotti@hotmail.com

Avenida Afonso Pena, 4496, Campo Grande - MS

  • artrose e genética

Artrose e genética: sobre atenção familiar

Envie a um amigo

 

Grande parte dos pacientes portadores de Artrose apresenta familiares que também sofreram com a mesma enfermidade. Atualmente, é conhecido que 50% do risco de desenvolver essa condição dolorosa articular crônica é determinado pelos genes. 

Ainda é um campo a ser melhor explorado, já que a ciência alcançou o  mapeamento de aproximadamente 11% de todo conteúdo genético de aumento de risco para a Artrose, e a imensa maioria está relacionada apenas ao acometimento dos joelhos e quadris.

A Artrose é enfermidade degradativa da cartilagem articular, com reação óssea hipertrófica e formação de esporões (osteófitos), além de inflamação do tecido sinovial de revestimento. É um processo lento e pouco sintomático nas fases iniciais. Joelhos são as articulações mais afetadas, sendo também comum o envolvimento dos quadris, mãos e coluna. 

Em fase precoce, os sintomas mais comuns são dor no início do movimento, de leve intensidade, com períodos livres de deconforto, e estados (crepitações). Com o passar do tempo, a dor se torna mais freqüente e em maior intensidade, podendo, em casos avançados, se tornar contínua, mesmo com o repouso.

O tratamento deve ser instituído o mais cedo possível, na tentativa de se evitar os danos na constituição dos tecidos e preservar a função da articulação. Com a Artrose mais avançada, o sucesso no controle da enfermidade vai se tornando mais limitado. 

Detectar pacientes com doença inicial é um enorme desafio, mas uma grande oportunidade para que sejam implementadas  medidas preventivas para retardar a evolução da Artrose.

Uma importante estratégia para que se alcance esse objetivo é reconhecer os pacientes de maior risco. Dessa forma, é fundamental que pessoas que possuam familares portadores de Artrose, especialmente após 50 anos de idade, procurem atendimento especializado precocemente quando houver surgimento de qualquer desconforto articular persistente. 

O programa de prevenção secundária envolve a confirmação de um diagnóstico precoce (necessário bastante perícia), identificação dos demais fatores de progressão e atuação no sentido de atenuá-los, e uso de medicamentos orais e intra-articulares (viscossuplementação) com potencial modificador de doença em sua fase inicial. 

 

 

 

Dr Leandro Tavares Finotti 

Solicite seu Pré Agendamento

Nos envie um email com seu interesse em se consultar com Dr Leandro Finotti, que entraremos em contato para maiores explicações e confirmação do agendamento.

Agendar
Assine Nossa Newsletter

Cadastre-se e receba informações sobre a enfermidades reumáticas